Dia 149, Receita 124 – Viagens

Bom, não acredito que vou escrever isso, mas este é o ultimo post do Projeto. A última receita de todas, minha última grande bagunça na cozinha, minha última palavra sobre a maior experiência e desafio da minha vida a vocês por aqui.


Estranho dizer isto, mas não consigo imaginar que amanhã vou entrar na cozinha e não vou pegar o livro da Ana e ter como obrigação preparar alguma receita. Não que algum dia da minha vida vou olhar para trás e de alguma forma reclamar de tudo isso que passei, mas com toda certeza vou ter o maior orgulho de mim mesmo e ver que algum dia, de alguma forma dei uma reviravolta na minha vida e quem sabe a transformei em tudo que sempre sonhei e quis para mim. Certezas não tenho nenhuma, mas quem tem certeza de tudo faz ou que vai fazer? Continuarei levando a minha vida, ou melhor, correndo pois sou muito apressado com tudo que eu faço, e trabalhando para conquistar tudo que eu quero.

Tenho que agradecer muuuito a todos vocês que sempre estiveram aqui comigo, e até mesmo aqueles que apesar da correria e vida agitada conseguiam tirar algumas minutos para ler e comentar as receitas que postava.

Tenho que agradecer também a minha mãe, meu pai, meu irmão e a Marina por toda a ajuda e apoio que sempre tive a cada passo das minhas tarefas, pelos fracassos e pelas conquistas.

E por fim, agradecer a Ana Maria Braga, sem ela nada disso poderia ser possível, sem ela eu não teria transformado a minha vida, sem ela eu não teria criado o Projeto da minha vida.

Tenho com certeza muitas coisas a passar e conquistar, afinal ainda tenho 21 anos e quantas pessoas ainda vou conhecer, coisas para apreender e quem sabe ensinar.

Mas não quero terminar este post como uma despedida, mas sim como um outro qualquer, e quem sabe outro dia não volto e continuo este papo com todos e então dando continuidade aos meus trabalhos... idéias e projetos é o que não me faltam.


Como última receita preparei o Fettuccine Alfredo, uma massa básica e fácil para qualquer um fazer e não colocar defeito.

Em uma panela com água fervente cozinhei o fettuccine por 15 minutos. No prato em que ia servir, cortei pedaços de manteiga e em seguida coloquei uma boa quantia da massa já pronta e uma concha do caldo do cozimento. Claro, por cima salpiquei uma boa quantia de queijo parmesão. Servi rapidamente em seguida.


Foram 124 receitas, 149 dias e muita coisa a acrescentar na minha vida.

Obrigado e até logo!


Resultado Final:

















Terminei em ótima companhia. ( Fettuccine Alfredo )

Dia 148, Receita 122 e 123 – Viagens

Penúltimo dia de Projeto,ultimas receitas para preparar e muitas coisas acontecendo ao mesmo tempo.

Ontem o jornalista da Revista Monet me ligou para dar uma reportagem sobre uma matéria do filme “Julie & Julia” que sai no mês de setembro. Fiquei muito animado e feliz por mais uma vez meu trabalho ser reconhecido.

Seguindo o Projeto, preparei duas receitas, sendo que uma completava a outra na hora de servir, fiz o Joelho de Porco e o Chucrute.

Um dia antes em uma vasilha grande temperei o joelho de porco com: pimenta do reino, noz-moscada, páprica picante e doce, açúcar e sal. Deixei de um dia para o outro.
No dia seguinte foi só colocar na assadeira e levar ao forno por 1h30 com papel alumínio. Após este tempo retirei o papel e deixei mais 45 minutos assando.

O chucrute foi demorado, dependendo do ponto de vista na verdade. Alguns dias antes em um pote de vidro fiz camadas de repolho branco picado e vinagre. Depois de completar o pote com três camadas, fechei e deixei por alguns bons dias para fermentar.
Quando comecei a fazer o chucrute, dourei as cebolas com a banha, logo em seguida acrescentei a farinha de trigo e mexi por um tempo até engrossar. Em seguida misturei a água, o repolho em conserva, mostarda amarela, o vinho branco, o molho de soja e o orégano. Deixei cozinhando por 25 minutos e então desliguei.


Resultado Final:



Boa combinação. ( Joelho de Porco e Chucrute )

Dia 148, Receita 121 - Ano 2006

Como comentei uma vez, algumas receitas ficaram para trás por motivos de não conseguir fazer, ou mesmo, falta de ingredientes no momento. Outro dia com tempo para cozinhar e não de postar, preparei uma pequena receita que me rendeu muito trabalho e muitos ingredientes. Uma simples receita de Macarrons conseguiu me tirar do sério, e justo agora na reta final do Projeto.

Tentei fazer três vezes esta receita, somente na quarta e última - pois não aguentava mais - consegui por fim o resultado final.

Numa vasilha em banho maria bati as claras com o açúcar sem parar até perder a viscosidade. Ainda quente coloquei na batedeira e deixei batendo por uns 10 minutos até formar claras em neve. Assim que desliguei, acrescentei a farinha de castanha de cajú e o açúcar de confeiteiro, misturei bem.

Em um saco de confeiteiro coloquei toda esta massa e fui fazendo picos redondos em cima de uma assadeira. Levei ao forno bem baixo - isto é muito importante - e em poucos minutos retirei.

Resultado Final:


















Mesmo sem cor, bem saborosos. (Macarrons)

Dia 145, Receita 119 e 120 - Ano 2009 e Viagens

Mais um final de semana bem família. Mais um final de semana de saídas. O final de semana mais surpreendente e gostoso de todos. Pois é, coisas acontecendo e me deixando muito feliz.
Entrei na última semana do Projeto muito contente e realmente decidido a terminar as receitas do mesmo jeito que eu comecei: animado e acreditando em todos meus ideais. Faltam apenas quatro receitas para finalizar, o que me deixa um pouco nervoso e ao mesmo tempo aliviado.

Bom como todo final de semana que a casa esta cheia e ajudas nunca me faltam, preparei duas receitas relativamentes trabalhosas e não muito apetitosas ao meu gosto. Fiz o Porco Confitado e o Bacalhau Com Natas, e o melhor, aprovada 100% por todos.

Comecei pelo porco - não gosto muito de carne de porco, então não sei se vou conseguir fazer comentários realmente apetitosos nesta receita - como não tinha achado o joelho de porco aqui nesta beleza de supermercado, pedi para meu pai trazer de Pirassununga, já que ele estava para vir.
No dia anterior, coloquei o joelho numa vasilha e temperei com: mostarda, gengibre, vinho branco, pimenta do reino, salvia e entre outros. Deixei de uma noite para outra.
Em uma panela grande, derreti a gordura de porco - muita gordura - e mergulhei o joelho por completo. No fogo mínimo deixei cozinhando por algumas horas até começar a ficar bem pururuca e crocante. Serve para comer com salada ou para fazer lanche.

Uma das primeiras receitas que eu fiz no Projeto foi com bacalhau, e contei nos dedos as receitas em que eu teria que comprar, dessalgar e comer bacalhau. Acho bem saboroso, mas não conigo comer qualquer tipo de peixe e achar que é o melhor prato que existe. Esse sem dúvida é um bacalhau que eu vou repetir e preparar várias vezes.
Com o bacalhau dessalgado, cozinhei as postas no leite por 10 minutos e então com a ajuda do meu pai - na verdade ele fez o serviço praticamente sozinho - desfiamos o bacalhau.
Em uma panela dourei as rodelas de cebola, então acrescentei as lascas do bacalhau e cozinhei por mais alguns minutos. Com o leite que reservei do cozimento, acrescetei um pouco na panela junto com a farinha de trigo até ficar bem uniforme. Em outra panela fritei as batatas cortadas em cubinhos e então misturei junto ao bacalhau.
Com uma forma untada de manteiga, despejei todo o bacalhau e suas misturas e espalhei por cima o creme de leite levemente batido. Salpiquei o queijo parmesão e levei ao forno por alguns minutos para gratinar.

Resultado Final:



















Bom tempero e otimo cozimento. ( Porco Confitado )



 
















A melhor receita de bacalhau. ( Bacalhau com Natas )

Dia 142, Receita 116, 117 e 118 - Ano 2009 e Viagens

Ontem tive que acordar bem cedo para ir na faculdade resolver umas cosias, e acordar cedo depois de quase um mês sem fazer isso realmente me deixou muito cansado. E outra, senti um grade aperto no coração, não por nada em especial, mas porque terminei de ler um livro, e toda vez que gosto muito de um personagem e a história realmente me deixa entretido, sinto um aperto no coração quando termino de ler.

Mas mesmo com essas coisas irrelevantes, resolvi ir para a cozinha preparar mais receitas do Projeto. Na noite de ontem fiz: Bobó Frito, Vichyssoise e Gelo de Ervas.

O bobó eu tinha começado no dia anterior, já que ele precisava ficar na geladeira. Em uma panela aqueci o azeite de dendê e em seguida já acrescentei os ingredientes: peitos de frango, pimentão nas três cores, cebola, alho, tablete de caldo de frango dissolvido em água e entre outros (realmente são muitas coisas). Deixei cozinhar um pouco e fui acrescentando aos poucos a farinha de tapioca e mexendo sem parar até ficar bem firme. Retirei da panela e despejei em uma forma, espalhando bem, e levei a geladeira. Quando retirei e já estavam bem firmes para cortar, comecei a empanar. Passei primeiramente na farinha de rosca, depois nos ovos batidos e mais uma vez na farinha de rosca. Fritei em seguida.

Nunca tinha ouvida falar em Vichyssoise, e nem sabia ou imaginava que sabor este prato teria. Pra variar, me surpreendi, e muito.
Em uma panela grande aqueci um bom pedaço de manteiga, em seguida refoguei o alho poró - que eu amo - cortado em fatias largas. Já em seguida acrescentei todos os ingredientes: peito de frango inteiro e com osso, cenoura inteira também, batatas picadas, salsão e dois tabletes de caldo de frango dissolvidos em uma boa quantidade de água. Fechei a panela deixei no fogo por meia hora.
Assim que desliguei o fogo retirei o frango inteiro, a cenoura e o salsão, que não serão usados mais. No liquidificador bati as batatas e o alho poró e então fui acrescentando o restante do caldo que estava na panela, até formar um creme.
Nesta mesma receita, utilizei o gelo de ervas - o que foi simples de mais para fazer. No dia anterior piquei algumas ervas, como cebolinha, alecrim e tomilho. Arrumei alguns montinhos numa forma de gelo e acrescentei água em todas elas. Levei ao congelador.
Na hora de montar, despejei o creme em duas taças e dentro delas acrescentei uma pedra de gelo de ervas.


Resultado Final:


















Devorados em minutos. (Bobó Frito)




















Comida francesa é incrível. (Vichyssoise e Gelo de Ervas)

Dia 141, Receita 115 - Ano 2009

Tenho que avisar vocês aqui no blog sobre uma coisa. Estes dias que passaram tive bastante contato com o pessoal da equipe do Mais Você e eles vão reprisar a minha matéria no programa e tudo o que esta rolando aqui no blog, mas isso depois que eu terminar o blog. Então calma, é assim, como faltam poucas receitas e meu prazo até o final de agosto, o que é muito grade, decidi antecipar um mês e terminar o Projeto agora no final de julho. Parece loucura antecipar assim, mas sinceramente esta será a melhor coisa para mim e para o Projeto.
Vocês podem imaginar como milhões de coisas estão passando na minha cabeça, mas não quero ficar pensando nisso agora, tenho boas receitas pela frente e quero continuar contando tudo a vocês que gentilmente me acompanham aqui.

Como tinha ido no mercado alguns dias antes, ontem preparei duas receitas de uma vez e iniciei outras. Fiz a Parmegiana Nodestina e a Paçoca de Farinha Láctea.

Para começar a parmegiana, um dia antes tinha deixado os pedaços da carne seca na água e troquei - e pedi para a Marina trocar - algumas vezes. Assim que retirei da água coloquei na panela de pressão por exatos 10 minutos. Numa vasilha bati ligeiramente os ovos e a água, em seguida passei os bifes de carne seca e depois na farinha de rosca. Assim que terminei todos os pedaços, fritei no óleo bem quente. Com uma assadeira forrada no fundo de molho de tomate, acrescentei os pedaços já fritos e prontos da carne seca e despejei o restante do molho por cima e salpiquei os queijos para finalizar. Levei ao forno para gratinar por 10 minutos e servi em seguida.

A paçoca de farinha láctea foi mais fácil do que eu imaginava, e tão saborosa quanto. Em uma assadeira despejei os amendoins e levei para torrar, assim liberar também um pouco do óleo que o amendoim tem. Levei direto ao liquidificador para bater um pouco. Em seguida já acrescentei a farinha láctea e o açúcar. Bati por mais um tempo até todos os ingredientes incorporarem bem e então ficar no ponto de moldar. Em cima de um prato coloquei o moldador e dentro dele ia acrescentando a farinha da paçoca e apertando com as pontas do dedo até ficar bem firme. Assim que soltei as paçocas prontas foi só dispor em outro prato e servir.

Resultado Final:


















Parmegiana mais exótica que existe. ( Parmegiana Nordestina )



















Paçoca chique demais. ( Paçoca de Farinha Láctea )

Dia 139, Receita 114 - Ano 2009

Ontem depois de alguns dias, resolvi criar forças e ir ao supermercado comprar alguns ingredientes das poucas receitas que faltam terminar.
Depois de um final de semana gostoso em que aprovetei muito, comecei a semana com força total para terminar de vez o blog. Acho que nem vou chegar a entrar no mês de agosto, vou conseguir por fim no Projeto agora mesmo em julho. Isso é muito bom, não acredito que estou quase no final do maior desafio da minha vida, até então.
Quando estava voltando para minha casa ontem, uma mulher me abordou na saída do mêtro me reconhecendo do programa da Ana e dizendo o quanto tinha gostado do Projeto Mais Você. Aquilo foi tão importante pra mim, que por um lado estava cansado demais e um pouco desanimado, e de certa forma me animou muito para seguir mais uma vez com este meu desafio.
Mãos a massa, preparei uma receita muito gostosa que servi de sobremesa junto ao jantar da minha amiga, fiz o Creme de Frutas Cítricas.

No liquidficador bati o suco concentrado de maracúja, as mangas cortadas e o suco de uma laranja. Transferi esta mistura para uma panela e em fogo baixo deixei por uns 5 minutos. Ainda quente, assim que retirei voltei ao liquidificador com o leite condensado, licor de laranja e o leite em pó. Bati até ficar uma mistura bem homogênea. Despejei esta mistura em taças e levei a geladeira.
Enquanto isso preparei a calda que ia por cima deste creme. Numa vasilha misturei o suco de manga, suco de maracúja, açúcar e a gelatina incolor. Coloquei um pouco desta calda em cima do creme e deixei na geladeira por mais um tempo até ficar bem frio.

Resultado Final:






















Parece um mousse, mas não é. (Creme de Frutas Cítricas)

Dia 134, Receita 113 - Ano 2009

Minha semana conseguiu ser a mais agitada e a mais rápida de todas da minha vida. Minha chefe esta de férias, ou seja, trabalho ao dobro pra mim na produtora.
Mas sabe que eu estou gostando disso? Estou aprendendo muito mais e descobrindo em mim mesmo um Gabriel que não sabia que existia e era capaz de fazer tudo isso. Orgulho de si proprio é muito engraçado, mas é isso que estou sentindo no momento.

Resolvi achar um tempo, o que foi bem difícil, e preparar alguma receita. Passei voando na padaria e comprei os ingredientes para fazer o Sanduíche de Mortadela Invertido.
De primeira achei um pouco estranho e de certa forma fiquei com medo de fazer pois pensei que seria difícil, estava enganado, foi bem tranquilo e rápido preparar.

Em uma forma levei ao forno os pães franceses cortados em cubidos, temperados com pimenta do reino, sal, manteiga derretida, azeite, entre outros. Dexei assar por 20 minutos, mexendo de vez em quando.
Com uma frigideira no fogo, cortei as fatias de mortadela bem fininha e fui dourando. Numa vasilha misturei os pães em cubos prontos, os pedacinhos de mortadela dourados, mussarela ralada e os tomates picados. Reservei.
Com a mortadela que sobrou e inteira, cortei quatro pedaços das fatias e forrei algumas xícaras, formando um circulo sem deixar aparecer o fundo e sobrando nas laterais. Acrescetei então o receheio no meio e fechei com as fatias e prendi com um palito por cima. Mieo complexo esplicar, mas foi bem fácil.
Levei ao forno por uns 20 minutos e pronto.

Resultado Final:


















Mais gorduroso que o comum. (Sanduiche de Mortadela Invertido)

Dia 132, Receita 112 - Ano 2004

Hoje vou postar mais uma receita que faz parte daquelas atrasadas. Esta foi uma das mais chatas e mais nojentas que tive que preparar, foi o Torresmo Pururuca.
1-) ter que achar a pele da barriga do porco, foi díficil. 2-) encarar aquele monte de banha e colocar a mão para cortar, foi tenso. 3-) fritar esses pequenos pedaços e deixar o apartamento inteiro fedendo fritura, é estressante.
Enfim, consegui superar mais este desafio e completar mais uma receita.

Meu pai veio um final de semana para meu apartamento e como eu  fui uma vez no açougue e quis comprar a banha e me disseram que tem q ir assim que o açougue abrir, e como não tenho tempo de ir de manhã e a preguiça nos sabados de ter que acordar cedo me deixam louco, resolvi aproveitar que ele "acorda com as galinhas" e então abusar da boa vontade e pedi para ir no açougue bem cedo. Ele conseguiu comprar e trazer pra mim.

Comecei separando os pedaçoes em cima da pia, então fui cortando - com muito nojo - o restante de carne que tinha ficado, deixando assim só a pele. Mas este processo não foi nada fácil, afinal você tem que ter uma faca muito bem afiada, coisa que eu não tenho. Consegui separar alguns pedaços e então cortei retangulos pequenos e fiz cortes transversais no interior deles, pois isso facilitaria na hora do torresmo enrolar.
Em uma panela com muito óleo novo joguei os pedaços da pele e deixei fritar por uns 20 minutos. Retirei os pedaços de torresmos e coloquei em um pote de plástico. O óleo que estava na panela deixei por mais uns 10 minutos até secar toda a água que poderia estar presente. Joguei este óleo na mesma vasilha em que estavam os torresmos e deixei an geladeira por mais de três dias.
Para deixa-los pururucas foi só voltar os pedaços na panela junto com a metade da banha que neste momento já estava dura e branca, e deixar fritar por uns 5 minutos. Pronto, ele ficam bem pururucas e crocantes.

Resultado Final:

















Ainda prefiro comprar pronto. (Torresmo Pururuca)

Dia 130, Receita 109,110 e 111 - Ano 2009 e Viagens

Como tinha comentado com todos, este final de semana e feriado fui viajar para a casa dos meus pais no interior. Sempre que vou para lá tenho diversas sensações diferentes e inexplicáveis. Consigo me sentir bem, consigo ficar com tédio, animado, cansado...

Desta vez cozinhei, porque das últimas vezes eu nunca tinha cozinhado, apenas levava o livro com a esperança de preparar algo. O que me deixou muito feliz foi a atenção 100% dos meus pais no projeto e toda a ajuda que tive para preparar as receitas. Tudo bem que todo este propósito de ajuda e super-atenção foi com um motivo, no sábado eles iam receber em casa vários casais de amigos, como sempre fazem – para jantar e as receitas que foram servidas foram as do blog. Muito legal né?

Preparei a Pimenta crocante recheada e a Surpresa de Chocolate (do ano de 2009) e as Costelinhas ao molho Barbecue (viagens).

Comecei preparando a Surpresa de Chocolate, pois já queria deixar pronto e decorado para a noite. Numa vasilha misturei a manteiga derretida, o cacau em pó, achocolatado, ovos, gemas e o açúcar. Mexi e despejei em uma panela, que logo em seguida foi para o fogo por uns 5 minutos. Em uma forma de furo no meio e untada com manteiga e açúcar, despejei toda a massa e levei ao forno por 1h40 minutos em banho-maria. Para finalizar decorei com morangos picados e servi com sorvete de morango.


Com muita animação e com ajuda do meu irmão e do meu amigo Thales, começamos a cortar as pimentas para preparar a Pimenta crocante recheada. Tiramos todas as sementes deixando praticamente intacta com cabinho. Em uma panela com água fervente despejei toda as pimentas e com apenas um minuto fervendo já retirava e despejava numa vasilha com água fria. Repeti este processo de água fervente e água gelada umas 5 vezes, claro sempre trocando as águas. Assim que terminei de ferver recheei com carne moída temperada apenas com sal e cebola picada. Em uma vasilha fiz uma mistura de farinha de trigo e água com gás. Passei as pimentas nesta mistura e logo em seguida salpicava com o salgadinho de queijo quebrado. Com tudo pronto foi só fritar no óleo quente.


Preparei também as Costelinhas ao molho barbecue, mas não 500 gramas como descreve a receita do livro e sim mais de 10 kilos, afinal tivemos muitos convidados. Para assar as costelinhas não tinha muito segredo, apenas arrumei na forma – com a incrível ajuda do meu pai – e levamos ao forno por uma hora com papel alumínio. Passado este tempo retiramos o papel e voltamos ao forno por mais 40 minutos.
Comecei então a preparar o molho, numa panela juntei o azeite e a manteiga e deixei esquentar, logo em seguida acrescentei a cebola e o alho. Assim que já estavam dourados acrescentei a casca da laranja picadinha, os cravos moídos, mostarda, sal, catchup, molho inglês, suco de 3 laranjas pêra, e entre outros. Deixei no fogo até ficar com uma consistência homogênea e bem grossa. Assim que retirei as costelinhas da segunda leva de forno passei sobre elas o molho barbecue e voltei ao forno por mais 30 minutos. Servi logo em seguida e com uma porção a mais de molho.


Resultado Final:

















Muita surpresa no sabor. (Surpresa de Chocolate)


















Mesmo com recheio, continuou picante. (Pimenta Crocante Recheada)



















De derreter na boca. (Costelinhas ao Molho Barbecue)

Dia 127, Receita 108 - Ano 2007

Resolvi pular um dia aqui no blog e não cozinhar pois precisava sair e dar uma volta sozinho, mas não decidi isso assim, tão rápido. Acabei voltando do trabalho e decidi que apesar da vontade de ir ao cinema, precisava cozinhar. Mas cheguei em casa e meu irmão com a sua namorada me chamaram para ir no shopping comer, foi então que decidi ir, mas não comer, e sim ir ao cinema. Tinha esquecido o quanto eu gosto e me deixa bem ir ao cinema sozinho, sei la, é tão gostoso poder ficar sozinho, depois olhar umas lojas e ficar pensando na vida. Realmente estava precisando fazer isso.
Ontem foi aniversário da minha mãe, estava contando os minutos para ir embora e encontrar a Marina para comprar bolo e velinhas para fazer uma surpresa, e então apareceu alguns pepinos no trabalho o que me que me fez ficar mais um pouco. Mas nada disso atrapalhou a nossa festinha, sai correndo, passei no shopping e depois padaria. Foi muito gostoso poder fazer isso por ela. E como hoje estou indo viajar, resolvi preparar algo ontem, mesmo que tarde da noite para poder postar hoje no blog. Cozinhei Bolinho de chuva recheado.

No dia anterior derreti o chocolate meio amargo e misturei com o creme de leite e mexi até formar um ganache. Levei para a geladeira de um para o outro.
Num vasilha preparei uma mistura de farinha de trigo, fermento em pó e sal. Reservei. Em uma outra misturei o açúcar, os ovos e a manteiga. Misturei com o fouet até ficar um creme. Juntei a este creme com a mistura da farinha e mexi até formar a massa em sí do bolinho de chuva.
Peguei o ganache e com a ajuda de duas colheres modelei bolinhas e logo em seguida levei ao congelador para dar mais uma firmada.
Com a massa na vasilha e ainda com as duas colheres, jogava as bolinhas de chocolate e envolvia a massa e então iam direto para a frigideira com óleo bem quente.
Tenho que confessar que é um pouco difícil preparar estes bolinhos, mas depois de várias tentativas consegui finalizar a receita e o sabor é muito bom.


Resultado Final:


















Muito bem recheados. (Bolinho de chuva rechado)

Dia 125, Receita 107 - Ano 2009

Agora começo o último ano do Projeto, estranho dizer isso, mas parece que falta muita coisa ainda. Este é o último ano, mas como vou fazer todas as receitas do livro contei também a parte do livro em que tem as receitas das viagens. Ou seja, faltam algumas receitas ainda, tenho muito trabalho pela frente.

Mas para começar a diminuir tudo isso preparei uma receita nova, o Varal de Salsicha. Fiquei muito ancioso para fazer esta receita, achei talvez a mais criativa do livro e a mais divertida que preparei no Projeto. Tenho que dizer que pela primeira vez tive a ajuda fielmente do meu irmão na hora de preparar o varal, o que tornou mais engraçado e demos muito risada.

Comecei cortando as rodelas da salsicha e separando o macarrão espaguete nº8. Juntei alguns fios e com 3 rodelas uma em cima da outra enfiei levando até o meio do macarrão. Fiz varios varais - eu e meu irmão - e reservei.
Numa panela comecei a preparar o melhor molho caseiro da minha vida, serio. Refoguei a cebola picada, os dentes de alho amassados e os pedaços de tomate. Logo em seguida acrescentei o molho de tomate e os temperos: sal, pimenta do reino picadinha e orégano. Deixei ferver por um tempo e então acrescentei o creme de leite fresco. Ainda com o fogo ligado, coloquei na panela com o molho fervendo os espaguetes crus com as salsichas e deixei cozinhar. Em certa de 10 minutos já estava tudo pronto e com toda certeza eu digo: o melhor macarrão que eu já comi.

Resultado Final:

















Isso tudo porque não gosto muito de salsicha.

Dia 125, Receita 105 e 106 - Ano 2002

Comentei aqui no blog outro dia que tinha algumas receitas que estavam faltando fazer, não aquelas que ainda estou preprando, mas aquelas retardatárias que ficaram para trás, porém tão importantes quanto, mas que por alguns motivos - vários que eu não lembro - não foram feitas.

Como tinha milhões de coisas para fazer na cozinha, resolvi começar por esta, o que facilitou. Preparei o Leite condensado e Pudim caseiro Diet. Já tinha feito o Leite Condensado e Pudim Caseiro, lembro até que fiz o comentario de que este tipo de leite condensado é muito bom, bem melhor do que industrializado.

Comecei fazendo o leite condensando um dia antes, no liquidificador bati o leite em pó desnatado, margarina light, água fervente e adoçante em pó. Depois de frio foi só bater no liquidificador junto com os ovos e o leite desnatado. Despejei em uma forma de furo no meio untada com margarina light e levei ao forno em banho maria por 1 hora e meia.

Resultado Final:

















Bem clarinho e com muita cara de diet.

Dia 124, Receita 104 - Ano 2008

Ufa! Mais um ano que se termina, mais e mais receitas finalizadas e muita coisa para vir ainda. Hoje venho postar a ultima receita do ano de 2008, termino mais um ano e o melhor, neste eu não deixei nenhuma receita sem fazer, ou que tenha dado errado.
Já terminei vários anos completos, mas tem alguns em que certas receitas não deram certo e então deixei para preparar depois, afinal tenho muita coisa para fazer e não podia ficar empacando em uma específica. Logo logo preparo estas retardatárias e começo a finalizar de vez o Projeto - coisa que tem me deixado muito pensativo. Mas não quero ficar pensando no meu futuro agora, vou postar a receita de hoje, que é a Torta de Limão.

Comecei limpando a pia, coloquei a farinha de trigo, amido de milho e o açúcar, fiz então um buraco no meio e acrescentei as gemas e a manteiga. Misturei todos ingredientes com a mão até ficar bem homogênea e firme. Em uma forma espalhei com as pontas do dedo a massa por completo, então levei ao forno por 20 minutos - uma super dica, pelo menos eu uso muito, quando a massa estiver já na forma em vez de fazer furinhos com o grafo e prejudicar a massa coloque feijões espalhados, eles não deixaram a massa no meio levantar e depois de assada eles se soltam facilmente, e a sua massa fica lisinha sem perfurações.
Para fazer o recheio, na batedeira misturei o leite condensado e o suco dos limões, bati até ficar bem firme e então acrescentei o creme de leite batido mais ou menos em ponto de chantili.
Com a massa assada e fria acrescentei o recheio e por cima espalhei as claras em neve e levei ao forno por 5 minutos para dourar - coisa que não funcionou muito bem, acho que com maçarico fica bem melhor - e então finalizei com as raspas de limão.


Resultado Final:


















Meu doce preferido.

Dia 121, Receita 102 e 103 - Ano 2008

Meu Deus, o ano de 2008 esta voando aqui no Projeto, nunca cozinhei tanto em pouco tempo assim. Isso é bom, assim o blog continua com tudo!
Meu dia tinha tudo para ser o mais calmo ontem, e até que foi, mas tenho que confessar que chega quinta-feira e eu já vou sentindo o cheirinho do final de semana por perto, e isso me deixa animado e com muita vontade de sair. Mas preciso funcionar, e hoje já pela manhã tinha que estar no trabalho pois tinha gravações.

Preparei duas receitas relativamente difíceis, a primeira foi a Massa para Docinhos de Festa e a segunda o Peru no Saco.
Juro não aguento mais ver peru na minha frente - eu sei que fica meio estranho falar assim, mas é a pura verdade - tive este mesmo problema com o bacalhau quando preparei duas vezes seguidas, agora é a vez do peru, mas pelo que vi no resto do livro não terei mais nada parecido com isto.

Para começar com os docinhos, em uma vasilha misturei o farelo de bolo peneirado, açúcar, coco ralado e o mel. Misturei até formar uma farofinha, logo em seguida acrescentei o leite condensado e misturei finalizando a massa por completa.
Com a ajuda de um molde - na receita ela manda cortar o tudo de pvc para usar, mas como tenho cortadores na mesma espessura, não precisei - coloquei bolinhas de massa e com a ponta dos dedos fui apertando e moldando como se fosse um copinho. Depois de moldar alguns fui só acrescentando o recheio de doce de leite.

Agora sim chegou a vez do peru no saco. Na noite passada antes de preparar a receita, temperei o peru com molho shoyu, mel, pimenta do reino, vinagre de vinho branco e água.
No outro dia comecei a preparar a farofa de crouton para rechear o peru. Numa panela derreti a manteiga, misturei o alho amassado e o curry. Depois de um tempo acrescentei o crouton e refoguei por uns 3 minutos.
Retirei o peru da marinada, recheei o peru com toda a farofa e logo em seguida comecei o processo chato de colocar ele no saco. Em um saco de pão grande - ganhado depois de ter xavecado a atendente da padaria - passei manteiga por todo ele e no fundo fiz tipo uma caminha com o papel alumínio. Coloquei o peru dentro do saco e com o segundo saco de pão - e muitas risadas com a marina - coloquei todo ele dentro, trancando assim o peru em dois sacos de pão depois de um certo sufoco. Levei ao forno por 2 horas.


Resultado Final:



Docinhos "bem" docinho.





Com a farofa, o peru fica bem melhor.

Dia 120, Receita 100 e 101 - Ano 2008

Ontem meu dia foi mega corrido, e quando cheguei em casa meu amigo que fazia um bom tempo que não via foi me visitar. Isso é bom, vocês que sempre estão lendo aqui sabem como eu adoro receber visitas.
Mas não deixei de ir para a cozinha e preprar receitas, apenas não consegui postar, o sono me venceu.

As duas receitas foram: Bife Completo e Super Rápido na Pressão e Pão de Queijo na Assadeira.

Numa panela de pressão fiz algumas camadas. Comecei com o bife já temperado, depois as rodelas de batata, cebolas, folhas de repolho, molho de tomate e por fim as azeitonas. Repeti este processo mais uma vez, fechei a panela e levei para o fogo. Assim que pegou pressão contei 15 minutos e retirei.

Já o pão de queijo na assadeira bati no liquidificador o óleo, margarina derretida, ovos - muitos deles - queijo parmesão ralado e o amido de milho. Assim que ficou bem homogêneo misturei numa vasilha com o polvilho doce e azedo, logo em seguida o fermento em pó. Com a massa bem firme, forrei o fundo de uma forma, no meio uma camada de presunto, mussarela, tomate picado e temperado e o requeijão cremoso. Acrescentei o restante da massa e finalizei salpicando o queijo ralado. Levei ao forno por 45 minutos.

Resultado Final:




Sem fritura, sem sujeira e muito rápido.



















Pão de queijo bem suculento.

Dia 119, Receita 97, 98 e 99 – Ano 2008

Hoje meu dia correu e passou como se não tivesse acontecido, muitas coisas pendentes depois de um dia sem trabalhar.

Tenho que confessar aqui que durante a tarde, dando uma olhadinha no jogo de Portugal x Espanha, tive algumas decepções, não acredito que Portugal esta fora da Copa e que foi assim, tão rápido e do nada, para mim a Espanha não merecia mais do que eles. Mas como não sou de português e apenas torço, vou continuar torcendo pelo Brasil e seguir com meu Projeto, que esse sim me da um grande trabalho e faz minha cabeça ficar bem ocupada.

Hoje voltei num horário bom do trabalho – e sem trânsito – e como estava com muito pique preparei três receitas de uma vez, que foram: Frango na Cerveja, Pizza de Ovo e Sonho.

Comecei pela receita mais fácil que eu fiz na minha vida até agora, preparei o Frango na Cerveja.
Em uma assadeira distribui exatamente as seis sobrecoxas de frango, por cima salpiquei o pacote de sopa de cebola e para finalizar a lata de cerveja branca. Levei ao forno com papel alumínio por 30 minutos, depois retirei e deixei dourar por um tempo. Simples assim, receita fácil e rápida.

Para fazer a Pizza de Ovo, em uma vasilha bati as gemas com o requeijão cremoso, logo em seguida acrescentei delicadamente as claras batidas em neve. Em uma frigideira untada com manteiga despejei toda esta massa e levei ao fogo baixo até começar a ficar com uma casquinha dourada nas laterais. Nesta hora acrescentei o recheio sugerido no livro o de marguerita, colocando mussarela ralada, parmesão ralado, tomates picados e folhas de manjericão. Assim que coloquei o recheio levei a pizza ainda na frigideira para o forno por 15 minutos. Retirei e servi na hora.

Comecei a preparar a receita o Sonho. Na batedeira misturei a farinha de trigo, o fermento biológico, açúcar, leite em pó, ovo, margarina, água morna e o sal. Bati esta mistura – que deu muito trabalho por ser muito seca – e logo em seguida fiz pequenas bolinhas da massa e organizei em uma forma untada e deixei um bom tempo até crescer.
Passado um tempo, levei ao forno por 5 minutos, só para pré aquecer. Nesta hora com uma frigideira alta aqueci o óleo e fritei os sonhos. Reservei.
Comecei então a preparar o recheio. Em uma vasilha misturei as gemas e o amido de milho, bati com o fouet até ficar bem homogêneo. Numa panela coloquei o leite, a margarina e o açúcar, deixei ferver e então acrescentei a mistura das gemas, mexi sem parar até o creme engrossar, então acrescentei a baunilha. Ficou ótimo.
Com tudo pronto, apenas cortei os sonhos ao meio, recheei e polvilhei o açúcar de confeiteiro.


Resultado Final:


















Acabou bem rápido também.



Me lembrou um grande omelete.




Prontos para serem vendidos nas padarias.

Dia 118, Receita 95 e 96 - Ano 2008

Começo de semana é tenso, não só pra mim, mas acho que para todo mundo né? Segunda - feira é chato demais, mas como tinha jogo do Brasil acho que todo mundo levou mais na boa. O melhor foi a minha segunda, pois quando estava no mêtro a caminho do trabalho minha chefe mais querida de todas me ligou falando para não ir, que não precisava começar a trabalhar e depois ter que parar tudo para ver o jogo. Isso não é muito bom? Ela realmente é incrível! E isso foi melhor ainda porque consegui ir no supermercado com calma e comprar quase tudo para poder avançar nas receitas e quem sabe não terminar logo o ano de 2008, que por acaso começo hoje.

Preparei duas receitas, uma doce e uma salgada que foram: Dois Brigadeiros e Picadinho Gambá.

Comecei pelo Dois Brigadeiros. No liquidificador bati a lata de leite condensado, os ovos, creme de leite, leite comum e a essência de baunilha. Reservei este creme branco.
No microondas derreti o chocolate meio amargo e misturei uma xícara deste creme branco.
Em uma forma retangular despejei uma pouco do creme, logo em seguida fiz uma camada de pão de forma sem casca e repeti mais uma vez este processo. Para finalizar coloquei por cima o chocolate meio amargo e granulado. Levei para a geladeira.

Para fazer o Picadinho Gambá aqueci em uma panela o óleo, cebola picada, dentes de alho e a carne picada, dexei refogar por um tempo. Em seguida acrescentei o molho de tomate, a cerveja preta e o tablete de caldo de carne, deixe cozinhando por uns 15 minutos.
Numa panela a misturei o creme de leite, o amido de milho, leite comum, requeijão cremoso e o queijo parmesão ralado. Assim que misturei levei ao fogo por uns 10 minutos mexendo sempre até engrossar.
Com tudo pronto, em uma travessa refratária despejei o picadinho, logo em seguida o creme branco e por cima o queijo prato ralado e a batata palha. Levei ao forno para gratinar por 10 minutos.

Resultado Final:




Depois do falso pudim, pra mim este é o falso brigadeiro.




















Com arroz branco e uma salada este prato fica completo.

Dia 118, Receita 94 - Ano 2007

Disse no post de ontem que tinha terminado o ano de 2007, mas ao folhear o livro, percebi que tinha ficado uma, bem em detalhe, para trás. Quando fui preparar o Pudim de Maria-Mole fiz como acompanhamento a calda de ameixas, só que na minha contagem - seguida pelo sumário - a Calda de Frutas Vermelhas também estava entre as receitas do Projeto, então fui fazer...

Numa panela coloquei uma xícara de açúcar e meia de água. Fiquei mexendo até virar uma calda em ponto de fio, acrescentei os morangos picados - pois foi a única fruta vermelha entre as selecionadas que consegui achar nesta droga de supermercado - a essência de laranja e as raspas de limão. Deixei ferver um pouco até tudo se encorporar bem e então coloquei em um pote para reservar.

Resultado Final:




Agora vou comer com torradas.

Dia 117, Receita 93 - Ano 2007

 Depois de alguns dias longe da cozinha, resolvi colocar a mão na massa e finalizar o ano de 2007.
Lembram que eu disse que adoro festa junina? Pois então, sexta feira teve o jogo da Brasil x Portugual - confesso que fiquei dividido, lógico que estou torcendo pelo Brasil, mas é que tenho uma paixão por Portugual incrível.rs - e como tive que assistir o jogo na Abril, pois estava trabalhando, resolvemos reunir todos do andar e fazer uma festa junina. O pessoal que organizou mandou muito bem, fizeram decorações e a mesa com as comidas típicas estava rechada de coisas gostosas.

Como disse hoje preparei uma receita nova e a última do ano de 2007, foi a Casquinha de Pizza.
Esta receita me fez lembrar meu amigo que foi essêncial na criação deste blog, ele construi todo o desing e as formatações em que eu posso postar aqui pra vocês. Mas o porque eu lembrei é que a sua família lá em Pirassununga tem um estabelecimento que vendem a pizza em cone, e que por sinal é uma delícia.

Bom vamos a receita. Em um cone de ferro fui enrolando papel alumínio até dar umas três voltas, então retirava este cone de dentro e reservei os de alumínio que se formavam. Comecei a preparar a massa, numa vasilha derreti o fermento biológico com o açúcar e o sal, logo em seguida acrescentei o óleo, a cerveja branca e a farinha de trigo. Solvei bem a massa até ficar bem lisa e homogênea, deixei descansar por 1 hora.
Após este tempo, na mesa de marmore abri a massa e cortei diversos círculos com o cortador. Com o cone de papel alumínio pronto, retornei este dentro do cone de ferro e então fui modelando a massa da pizza em cima até ficar lisa e no formato de casquinha. Repeti este processo algumas vezes e então arrumei este cones que estavam somento no papel alumínio em pé numa forma com furo no meio - este processo de utilizar a forma foi uma invenção minha, já que foi apenas desta forma que consegui deixá-los em pé sem cair. Levei ao forno por 20 minutos.
Com as casquinhas já assadas preparei um recheio de atum e queijo. Retirei o papel alumínio de dentro das casquinhas e elas agora em pé só que com a cavidade aberta pra cima e recehadas, levei ao forno por uns 15 minutos. Depois foi só servir bem quentinhas.

Resultado Final:


















Pizza é bom em qualquer formato.

Dia 113, Receita 90, 91 e 92 - Ano 2007

Não via a hora de chegar em casa hoje para finalizar as receitas, e também porque vou sair com uns amigos.
Como já tinha deixado as receitas quase prontas, foi super fácil só desenformar, assar e esquentar o que tinha aqui.

Bom preparei três receitas: Torrone, Peru na Cerveja e Farofa de menina rica da Tati.
O que tinha deixado pronto foi o torrone, pois ele precisava de boas horas de geladeira, já o peru deixei temperado na geladeira e só pedi para a Marina colocar no forno assim que chegasse, afinal ele levou duas horas lá dentro, e a farofa eu preparei agora mesmo.

Para fazer o torrone, aqueci numa panela o mel, o açúcar e água. Deixei no fogo médio até formar um fio grosso - cuidado porque ele pode querer escorrer para todos os lados. Na batedeira coloquei as claras e bati até ficar em pontos de pico, bem claras em neve. Enquanto batia fui acrescentando a calda de mel que tinha feito para bater junto, e também a gelatina incolor dissolvida. Quando desliguei a batedeira acrescentei os amendoins triturados e reservei. Com uma forma de buraco no meio untei com calda de caramelo quente e logo em seguida coloquei toda a massa do torrone. Levei para a geladeira por 6 horas - ou mais, pois não tenho este lindo tempo livre. Hoje apenas desenformei.

O peru confesso que foi um pouco chocante. Não sei se já contei aqui, mas lidar com animais praticamente inteiros na cozinha não é muito a minha praia, tanto que respirei várias vezes antes de colocar a mão no bixo.
Criei coragem e fui, comecei lavando em água corrente e em seguida esfreguei o suco de três limões e cobri todo ele com fubá. Depois de uns minutos lavei com água fervente - diz o livro que isto vai ajudar na eliminação de gordura do peru. À parte no liquidificador bati a cebola, alho, óleo, cebolinha e salsinha, sal e a cerveja.
Depois do descanço do peru, com um barbante amarrei suas asas para trás e as pernas no sentido certo. Com ele na forma mergulhei todo aquela marinada e então dexei na geladeira por 8 horas. 
Hoje foi só assar e pronto, peru bêbado de cerveja. 

Quando olhei para a farofa achei que não fazia parte do meus planos no projeto, ou seja, imagnei que fosse apenas um complemento. Pois estava enganado, ela está no sumário e então vou prepara-lá.
Numa frigeira alta coloquei a cebola picada, alho e o bacon. Logo e seguida acrescentei juntei os pimentões, as azeitonas, a pimenta dedo de moça e o sal. Quando já estavam bem refogados, juntei as frutas secas trituradas, como as amêndoas, castanha do pará, castanha de cajue amendoi. Misturei finalizando assim a farofa.

Resultado Final:




Só para amantes de amendoim.





Combinação perfeita.

Dia 112, Receita 89 - Ano 2007

Acordar tarde e poder durmir muito mais do que eu vinha durmindo fez meu dia ser otimo. Eu não lembrava ou apenas por não ter mais esta rotina, de como é bom poder durmir mais e recuperar as noites mal durmindas. Realmente férias é a melhor coisa que inventaram.

Hoje o post vai até ser pequeno, preparei apenas uma receita - uma que ficou pronta, porque na verdade eu já dexei duas 50% iniciadas só faltando finalizar amanhã - que foi o Macarrão na Pressão.
Nunca tinha ouvido falar que dava para fazer uma macarronada na panela de pressão, tanto que fiquei bem curioso para ver no que ia dar.

Na panela de pressão refoguei a cebola picada junto com o alho e óleo. Logo em seguida acrescentei os pedaços de carne picados bem pequenos - até pensei em colocar carne moída, mas não seria a mesma coisa - e deixei refogar por 10 minutos. Passado este tempo acrescentei os tomates picados, o extrato de tomate e o creme de leite. Um tempo depois juntei um litro de água e o macarrão cru. Como era espaguete tive que dar um tempo para eles amolecerem e então fechar a panela. Quando começou a pegar pressão deixei uns 7 minutos e desliguei. Finalizei com salsinha e manjericão.

Resultado Final:


















Melhor de tudo é que sujei apenas uma panela.

Dia 111, Receita 87 e 88 - Ano 2007

Entregas de trabalhos finais, no emprgo tudo tranquilo e na cozinha tudo saindo super bem, é assim que consigo descrever meu dia a vocês.
Não sei quem acredita ou não, mas segundo meu horóscopo - lido pela minha amiga Marina - esta semana terei grandes avanços e reconhecimentos na parte profissional, e podem tr certeza, isso me animou muito. Sempre gostei de estar envolvido diretamente em alguma coisa, mesmo quase sempre não recebendo algo em troca - como dinheiro que é fundamental - mas só de saber que pude criar algo já me deixa muito feliz.
Este Projeto com o blog eu que criei e isto me deixa muito feliz mesmo!

Hoje assim que cheguei fui direto para a cozinha e preparei duas receitas: Bauru e Canjiquinha de Frango.

No liquidificador bati a massa com óleo, leite, leite de coco, ovos, farinha de trigo, amido de milho, fermento em pó e sal. Em uma vasilha misturei alguns ingredientes que formaram o molho, que são: molho de tomate, cebola picada, azeitonas verdes em rodela, orégano e sal. Com uma forma redonda de fundo removível untada com manteiga e farinha de rosca, despejei metade da massa, logo em seguida acrescentei algumas fatias de presunto que por cima receberam o molho de tomate, logo após fatias de mussarela, e depois o restante da massa. Por cima salpiquei mais queijo e algumas azeitonas.
Levei ao forno por 1h30 - muita coisa mesmo - e servi logo em seguida.

A canjiquinha de frango foi até que fácil. E uma panela coloquei a farinha de milho grossa com 1 litro de água fervente dissolvida com um caldo de galinha. Deixei cozinhar até engrossar. Em outra panela dourei a cebola com alguns dentes de alho e colorau, logo em seguida adicionei mais 1 litro de água com um caldo de galinha dissolvido. Numa frigideira fritei os pedaços de frango e logo em seguida acrescentei todos eles na panela com a mistura de água e cebolas. Com tudo pronto e bem cozido, juntei o caldo com os pedaços de frango na farinha de milho, mexi e deixei mais uns 20 minutos cozihando tudo junto. Comi bem quentinho.

Resultado Final:


















Demorado no forno, porém vale a pena.



















Mês de junho, como eu gosto de você.

Dia 110, Receita 84, 85 e 86 - Ano 2007

Começo a semana já pensando como será o final de semana. Penso nas saídas noturnas e mais ainda nos momentos de descanso. Este por exemplo foi bem especial, meu pai veio para cá e pude aproveitar um pouco mais dos momentos em família.


Ontem a noite antes de sair, passei numa festa junina da empresa da minha mãe. Já disse aqui no blog como eu adoro festa junina, mas nesta tive algumas sensações diferentes. Tinha todas as comidas típicas que podiam existir, mas o que me tocou mesmo foi pensar quanto estas festas significaram para mim, vou explicar melhor. No interior existem muito disso, no colégio ou mesmo naquelas quermesses de igrejas estas festas nestas épocas eram e ainda são por lá o diferencial na cidade, tinha algo novo para se fazer e poder aproveitar com todos. O que tanto me fez pensar é o quanto minha vida mudou e o que agora eu espero tantas outras coisas mais importantes e que me fazem e fizeram amadurecer absurdamente mais. Momento reflexão, eu sei, mas realmente isso mexeu comigo e acho que para sempre esta época me fará pensar no que já passei e nas experiências que quero ter daqui pra frente.

Bom, hoje meu dia na cozinha foi super produtível, preparei três receitas: Pernil Incrustado, Petit Gâteau com Chocolate Branco e Pudim de Maria-Mole com calda de ameixas.

Comecei pelo pernil, na noite anterior bati no liquidificador os ingredientes para temperar, que foram: dentes de alhos, cebola, pimenta dedo-de-moça, salsinha, cebolinha, suco de limões e sal. Nesta hora fiz pequenas perfurações na peça do pernil e acrescentei dentes de alho neles. Passei o molho por cima dele todo e levei para a geladeira por uma noite. Hoje de manhã pedi para que meu pai na hora que acordasse era para colocar o pernil no forno, e isso levou 3 horas. Assim que acordei tirei o papel alumínio que estava coberto e deixei pegar uma cor nos minutos. Servi com arroz e maionese de legumes.

Petit Gâteau eu já tinha feito algumas vezes, até as forminhas eu já tinha aqui em casa. Numa panela em banho Maria coloquei os ovos, as gemas, e o açúcar, então com a ajuda de uma espátula fui mexendo para não engrossar muito. Quando já estava bem quente e uniforme retirei do fogo e acrescentei o chocolate meio amargo derretido e então o resto dos ingredientes da massa que são, a farinha de trigo peneirada, essência de baunilha e uma pitada de sal. Mexi bem com um fouet e deixei descansar por 10 minutos. Nesta hora derreti o chocolate branco para então rechear os bolinhos. Com as forminhas untadas coloquei até a metade a massa e com um saco de confeiteiro com o chocolate branco dentro injetei algumas pequenas porções dentro da massa do Petit. Levei ao forno bem quente por 12 minutos contados certinho no relógio – se tem uma coisa que eu aprendi foi que petit gâteau não pode passar do ponto no forno, se não perde toda a graça. Assim que retirei do forno, desenformei e pronto, o que faltou foi o sorvete para acompanhar.

Esta receita do Pudim de Maria-Mole além de ter o nome da minha avó – que não é mole e sim Maria - eu aprendi a fazer com ela. Minha avó é uma viciada em preparar pudins e manjar, não sei se é porque ela gosta ou se só sabe fazer estas duas receitas mesmo.
No liquidificador bati o pó da maria-mole dissolvido em água fervente até ficar com uma espuma. Nesta hora acrescentei o leite condensado, o creme de leite, leite de coco e a gelatina incolor também dissolvida em água. Coloquei esta mistura numa forma com furo no meio untada com água gelada – como não tinha água na geladeira, deixei algumas pedras de gelo dentro da forma por alguns minutos. Levei a geladeira por 4 horas. Peguei o livro para ver como se fazia a calda de ameixas, me espantei ao saber que era só bater as ameixas com água no liquidificador, sem ao menos precisar ir ao fogo. Depois de pronto, foi só desenformar e derramar esta calda incrível por cima.


Resultado Final:




Otimo para domingos em família.






Petit Gâteau recheado fica bem melhor.






Esta receita terei que ensinar a minha avó.

Dia 108, Receita 83 - Ano 2007

Cheguei  ao ano de 2007 com grande estilo, preparei uma receita que eu gosto muito. Mas antes de falar sobre isso queria comentar sobre um restuarnte que fui ontem. O nome dele é Kebabel, é um restaurante arábe - eu adoro comida árabe - na verdade é um bistrô bem pequeno e bem gostoso. E devido a minha ida pra lá, acabei não preprando nada aqui no Projeto.

A receita de hoje como comentei é um dos meu pratos favoritos: Macarronada, mas não uma simples macarronada, é o Macarrão de Forno.
Assim que cheguei no ano de 2007 percebei que tem dois tipos de macarronada, e como meu pai chegou hoje aqui em São Paulo decidi fazer esta ao forno para todos comerem.
Numa panela fritei alguns dentes de alho num fio de azeite, logo em seguida coloquei a água e o estrato de tomate. Deixei cozinhar por uns 15 minutos.
Em uma vasilha misturei pedaços quadradinhos de mussarela e presunto, acrescentei logo em seguida a maionese - nesta hora tinha que ser o requeijão cremoso, mas como sou perdido com meus proprios pensamentos, acabei esquecendo de comprar, então fiz com maionese. Ficou uma mistura super homôgenea.

Com o molho e essa mistura pronta, coloquei o macarrão cru no fundo de uma assadeira, misturei o creme de mussarela com o presunto e por cima de tudo o molho vermelho.
Levei ao forno por 40 minutos.


Resultado Final:




Começando novo ano muito bem.

Dia 106, Receita 82 - Ano 2006

Consegui ter um dos meus dias mais cansados do ano até então, mas mesmo assim fui para a cozinha e não desanimei, preparei receitas do Projeto.
Pensei em escrever milhões de coisas para tentar explicar este meu dia, mas não vou conseguir. Só uma coisa, vou poder dormir mais agora e ter mais folego para as receitas, estou de férias da faculdade.

Mas vamos a receitas? Ou melhor a única receita. Tentei preparar duas receitas mas apneas uma saiu completa. Sobremesa de Natal: ok! Macarrons: não!

A sobremesa de natal eu comecei preprando um dia antes, numa vasilha em banho maria bati com a ajuda de um fouet as gemas, o açucar e a essencia de baunilha até ficar esbranquiçada e espessa. Retirei do fogo e bati até esfriar, nesta hora fui acrescentando o cream cheese, logo em seguida o suco de um limão, as uvas passas e as frutas cristalizadas. Transferi esta mistura para uma peneira e com um pires em cima fui precionando até todo o liquido escorrer. Levei a geladeira por 12 horas.
Depois desse período, desprezei o restante do líquido que se encontrava e distribui esta mistura em pequenas forminhas cobertas com plástico. Levei a geladeira por mais 2 horas e então desenformei.

Obs: Macarrons vocês não me venceram.

Resultado Final:






Puro gosto do Natal.

Dia 105, Receita 80 e 81 - Ano 2006

Como podem perceber ontem não postei as receitas que tinha comentado que estava fazendo, só consegui sentar na frente de um computador agora. Dia de copa muita confusão e alegria para todos os lados, resolvi cozinhar, e acreditem, estava na frente do fogão até na hora que sairam os dois gols do Brasil.rs

Nunca fui muito fã por futebol, mas na copa eu juro que fico animado, acho que nem tanto, porque depois do primeiro e desanimador tempo fui direto para a cozinha preparar receitas.
Os pratos foram: Pão de Queijo Mineiro, Sorvetone e Vaca Atolada.

Comecei pelo pão de queijo, no liquidificador bati o óleo, leite, ovos, polvilho azedo e o queijo parmesão. Depois de todos os ingredintes misturados, untei forminhas de empadinhas com óleo e despejei a massa em pequenas porções. Levei a forno por uns 40 minutos e duvidem ou não, já estava pronto, nunca imaginei que seria tão fácil.

Fui para o Sorvetone, esta receita me lembrou muito uma das primeiras receitas que fiz do Projeto que era o panetone recheado com sorvete. Confesso que elas são um pouco parecidas. Numa forma forrada com plástico coloquei uma camada do panetone fatiado umidecido na sidra - o melhor de tudo foi que eu achei o panetone já em fatias no supermecado - depois acrescentei uma camada de sorvete de chocolate, mais uma de fatias de panetone, logo em seguida uma camada de sorvete de morango e por fim mais uma de panetone. Levei para o congelador por 4 horas. Numa panela aqueci o creme de leite fresco e deixei quase ferver, nesta hora piquei chocolate meio amargo numa vasilha e misturei até formar um creme de ganache, para dar um brilho acrescentei a manteiga. Para finalizar foi só cobrir todo o sorvetone com a calda de ganache.

A vaca atolana foi tão esperada pela Marina que de tanto ela falar me deu até vontade de experimentar. Numa panela grande aqueci o óleo e dourei os pedaços da costela de vaca, logo em seguida juntei as cebolas, dentes de alho, sal e pimenta do reino. Passado um tempo acrescentei os tomates, cheiro verde, cebolas, pimenta dedo de moça, folhas de louro e água quente. Deixei cozinhar por 50 minutos.
Quando percebi que a costela já estava macia, acrescentei as mandiocas já cozidas e cortadas em pedacinhos, então cozinhou por mais uns 20 minutos. Desliguei o fogo quando percebi que já estava com aparencia cresmosa e que os pedaços da vaca estavam atolados. Servi com arroz branco.

Resultado Final:


















Estou praticamento um mineiro...



















Sou mais o Sorvetone do que o Panetone...




Deveria ter experimentado antes.

Dia 104, Receita 78 e 79 – Ano 2006

Final de semana com dia dos namorados é muito bom, isso pra quem esta num relacionamento, para aquelas pessoas que estão super encalhadas – que é a minha situação – esta data só serve para fazer a gente se destruir na balada e ficar com peso na consciência – e estragos físicos – no outro dia. Calma, estou inteiro e até então não senti falta de nenhuma parte do meu corpo, mas meus pensamentos não param, enfim, cansei! Domingo fiquei sem cozinhar, mas hoje estou aqui firme e forte com duas receitas novas: Pizza da Ana e Falso Pudim de Leite Condensado.
Comecei pelo pudim, no liquidificador bati os ovos, a água, leite e pó e o açúcar. Numa panela comecei a preparar a calda de caramelo, derreti o açúcar na água. Com o caramelo pronto – um pouco claro eu achei- coloquei na forma com furo no meio e depois acrescentei o líquido do pudim que havia batido. Levei ao forno em banho maria por uma hora e meia. Assim que ficou pronto foi só esperar esfriar e desenformar.

Para a pizza, numa vasilha derreti o fermento biológico no açúcar e sal, logo em seguida acrescentei a água morna. Tinha que ter colocado óleo, mas acabou e eu nem percebi, fiz sem, e o resultado foi o mesmo creio eu. Deixei a massa descansando por uma hora. Na mesa com farinha abri discos de massa e coloquei na forma, passei o molho de tomate e levei para pré assar. Tirei do forno e coloquei o recheio, mais um tempo de forno e pronto. Não sei se vocês se lembram, mas eu já tinha feito massa de pizza aqui no Projeto, e sinceramente esta ficou bem melhor.

Resultado Final:






 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Parece mesmo que tem leite condensado.
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Mais prática e mais crocante.